sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

VOO SEM VOLTA...Livro do Co-Piloto ZILLE a venda !

É realmente muito gratificante receber o livro de um amigo, principalmente quando esse livro é parte integrante da sua história real de vida. Imaginem a emoção e a gratidão que senti ao ver a dedicatória que o amigo NILSON ZILLE, Co-piloto do VOO SEM VOLTA VRG254 me dedicou!  Obrigado pela preciosidade que me enviou. O livro relata minuciosamente o acidente que transformou sua vida e a vida de todos integrantes desse trágico voo.  Fiquei deveras emocionado pelo carinho e dedicação do amigo aviador, principalmente eu que gosto muito de ler, assuntos relativos à aviação com veracidade. Assuntos não só técnicos como também histórias reais da vida e depoimentos, de quem viveu parte da história. Por outro lado, como amante e colecionador de livros do gênero aeronáutico, tenho centenas deles no meu acervo pessoal, onde só falta eu escrever o meu próprio livro, contando os meus 45 anos de aviação, mas não tive a mesma coragem do Zille nessa empreitada. Quem sabe um dia ! Agradeço do fundo do coração a oportunidade de desvendar ágora mistérios cruciais que envolveram o ocorrido no meio da Selva Amazônica, em São José do Xingu-MT. Me lembro como se fosse hoje...todos estavam preocupados com o destino daquele Boeing-737 200 da VARIG. O desaparecimento era comentário geral nas rádios, na TV. Escureceu e veio a agonia da incerteza, sem conseguir imaginar o que  estava vivendo aquele voo incerto.
Hoje além dos depoimentos na época pelos sobreviventes, pelas cenas jornalísticas apresentadas pela TV, documentários, entrevistas e jornais, temos ágora o relato fiel e verdadeiro do que aconteceu realmente, escrito por quem estava lá e vivenciou tudo. Quem gosta de aviação recomendo a leitura desse livro, escrito de forma simples e perfeitamente compreensível, disponível graças ao trabalho incessante do ZILLE em tornar publico a veracidade dos tensos momentos, que fizeram parte do trágico  e inesquecível acontecimento. Quem gosta de ler vai devorar esse livro em questão de horas. Você acaba ficando preso a leitura agradável e cheia de curiosidade, são 125 paginas que descortinam momentos  tensos que o Co-Piloto Zille, o Comandante, a tripulação e os passageiros viveram.

Hoje o querido amigo NILSON ZILLE reside em João Pessoa-PB, na mesma terra adotada pelos amigos: JC – José Carlos Martins e o Sergião do Aéro Clube da Paraíba. Quem quiser adquirir o livro para leitura própria ou presentear um amigo que gosta de aviação esse é o momento. Basta entrar em contato com o Zille. O livro custa vinte poucos reais,  mais despesas de envio pelo correio. Havendo interesse fale com ele pelo: (83) 9634-8507, cujo celular tem W.Zap e informe seu endereço para forma de pagamento e calculo do frete.
Desejo a todos os interessados uma boa leitura, já que esse precioso livro vai ilustrar a biblioteca de cada um.
Zille, JC e SERGIÃO, devo uma visita pra vocês, em 2018 se Deus quiser apareço por aí.Grande Abraço.


quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Voando o GRUMMAN AA-5 Traveler,com amigos !

No domingo, 03DEZ2017, o dia amanheceu em Matão-SP e em boa parte da região, meio acanhado, chuvoso e quase sem sol. Algumas chuvas finas, leves e intermitentes reinavam nas proximidades tirando o animo do dia anterior para voar. Nesse teatro de garoa recebemos a visita inesperada do nosso querido amigo Mauro Sergio Moreira, que veio de Jaboticabal-SP/SDJC, curtindo um voo no seu RV7A PR-ZEM para nos visitar no Hangar Delfi's em Matão-SP/SDLY.
Estava nos nossos planos voar o Grumman, fazendo um passeio local pelo céu com alguns TGL/Toque arremete em pistas próximas para adestramento do PP Marcelinho, mas estávamos meio desanimados. O Mauro acabou nos incentivando a sair do chão. E assim não só ele como nós, voamos naquele dia sereno, sem turbulência, céu parcialmente encoberto,sem vento e uma brisa fina. O Mauro tomou um café e regressou para Jabuka. Nós decolamos para curtir alguns pousos do Marcelinho, que foram sensacionais, realizados na pista de asfalto do aeródromo Marchezan/SDME, ali mesmo em Matão-SP. Nosso tripulante extra foi o Roberto Carneiro, apaixonado por aviação e piloto de Paramotor. que vibrou com o voo...Após o pouso houve comemoração com muita cerva gelada e bom bate papo que se estendeu para um almoço improvisado entre amigos. Valeu apena !


                                              MAURO SERGIO MOREIRA e seu RV7A PR-ZEM em SDLY.
                                                                          MAURO SERGIO MOREIRA 
                                                        Roberto Carneiro, Betty, Xurupita e Marcelinho.
                                              MAURO SERGIO MOREIRA, BETTY, XURUPITA e MARCELINHO.


                                 MAURO SERGIO MOREIRA e seu RV7A PR-ZEM, partindo de SDLY para SDJC.
                                MARCELINHO preparando o Grumman para o seu voo de treinamento.
                              DELFINO, MARCELINHO no comando e o passageiro ROBERTO CARNEIRO.
                                                                 Aeródromo SDLY em Matão-SP.





                                                                                SDLY





                                                    Sobrevoando Matão - SP para pouso em SDLY.

                                                                         DELFINO e MARCELINHO
                                                ROBERTO CARNEIRO, passageiro alegre e feliz.

                                                                                        SDLY




                                     ROBERTO CARNEIRO, DELFINO, BETTY e MARCELINHO comemorando o voo.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

ESTOU VELHO... O tempo passa rápido e como passa! 45 anos no ar não é fácil...

Nós que gostamos de voar, que nascemos para isso, que amamos o que fazemos quando estamos com nossos aviões, no nosso mundo, é impossível aceitar ficar no solo, quando tantas oportunidades o céu nos dá para curtir lindos e inesquecíveis momentos! Quem nunca saiu do chão não sabe avaliar a magnitude de quem voa...
Somos seres especiais que Deus nos deu a oportunidade de ver a terra lá de cima, enquanto os terráqueos vivem lá embaixo envoltos em curiosidades. Quem voa está acima de tudo e de todos. Uns voam, outros rastejam como os repteis. O Tempo passa, o tempo voa. Perguntar quem é mais feliz nesse contexto não se sabe. Cada qual vive seu momento, seu tempo de acordo com a sua predestinação, sua escolha. Os eleitos são especiais. A vida só tem sentido para aqueles que se aventuram nos caminhos do céu sem medo, encarando com muita serenidade um voo com ida e volta. Voo sem retorno não tem sentido,é inaceitável. Quando você se prepara levantando cedo, antes hora da decolagem prevista e caminha para o seu avião, você tem a certeza da ida e da volta. Se não for assim não vale a pena. O duro é quando alguns partem aleatoriamente na esperança da volta duvidosa e muitas vezes isso não acontece. Sejam por falta de planejamento, ansiedade, momentos obscuros, circunstancias adversas, necessidades além das fronteiras e da capacidade por inúmeras situações.

Sempre que deixamos nossos hangares, procuramos voltar, mais cedo ou mais tarde. É a mesma coisa que sair de casa, deixar o lar pelo trabalho e retornar no nosso ninho. Quando alguns pássaros saem para a labuta, muitas vezes não regressam. Acidentes de percurso acontecem, são abatidos ou mesmo impedidos de regressar. A vida é assim, uns partem, alguns voltam, alguns desaparecem. Seres alados são especiais e quando escolheram viver assim, sabiam que não seria fácil, mas que apesar dos sacrifícios e  riscos seriam momentos gratificantes, além da imaginação dos terráqueos.  Para o avião, o céu não tem limite... O horizonte é a nossa meta, você consegue voar além da imaginação. 



COSTELA COM CERVEJA PRETA a moda Marcelinho no Hangar Delfi’s !

Nosso amigo MARCELINHO, além de piloto, tem dotes gastronômicos. Tornou-se um especialista na cozinha, aperfeiçoando e melhorando uma velha receita de COSTELA SUINA com Cerveja Preta e para provar suas habilidades esteve conosco no Hangar Delfi’s em Matão-SP/SDLY preparando a tão prometida Costela a Marcelo. Ele faz questão que seja a Cerveja Malzbier. Como a maioria dos convidados não acreditavam muito nas suas habilidades resolveram paralelamente reforçar a situação. Aconteceu no domingo/26NOV 2017.
Enquanto ele preparava o prato do dia, meu cunhado Nelson aproveitou para ascender a Churrasqueira Baby de emergência para garantir sua fome. A Margareth preparou um delicioso macarrão italianíssimo com sardinhas, fritou muita batata para ir matando a fome dos convidados até que a prometida e demorada Costela com cerveja preta fica-se pronta. Afinal é um delicioso prato, onde a pressa não combina com a boa arte, cuja demora em ficar pronta é de cerca de 2 horas de labuta e muito capricho.O PAULÃO já sabia que a coisa iria demorar e acabou trazendo carne de poroco assada para degustação de todos enquanto os trabalhos prosseguiam.

Foi um domingo sensacional, diferente daqueles domingos cheios de voos. Domingo alegre onde faltaram alguns amigos, mas com muita cerveja gelada, boa musica e agradável bate-papo. Quem não foi perdeu. Nem o tempo chuvoso estragou nosso almoço que acabou virando até jantar.




































                                                          DINA, BETTY e MARCELINHO.






                                                                   BETTY e PAULÃO
Carne de porco assada do Paulão.
COSTELA COM CERVEJA PRETA a moda Marcelinho no Hangar Delfi’s !

Nosso amigo MARCELINHO, além de piloto, tem dotes gastronômicos. Tornou-se um especialista na cozinha, aperfeiçoando e melhorando uma velha receita de COSTELA SUÍNA com Cerveja Preta e para provar suas habilidades esteve conosco no Hangar Delfi’s em Matão-SP/SDLY preparando a tão prometida Costela a La Chefe Marcelo. Ele faz questão que seja a Cerveja Malzbier. Como a maioria dos convidados não acreditavam muito nas suas habilidades resolveram paralelamente reforçar a situação. Aconteceu no domingo/26 NOV 2017.
Enquanto ele preparava o prato do dia, meu cunhado Nelson aproveitou para ascender a Churrasqueira Baby de emergência para garantir sua fome. A Margareth preparou um delicioso macarrão italianíssimo com sardinhas, fritou muita batata para ir matando a fome dos convidados até que a prometida e demorada Costela com cerveja preta fica-se pronta. Afinal é um delicioso prato, onde a pressa não combina com a boa arte, cuja demora em ficar pronta é de cerca de 2 horas de labuta ao forno e muito capricho. ( Acrescentando o tempo de marinamento, gasta-se cerca de 4 horas desde o incio do processo)
Foi um domingo sensacional, diferente daqueles domingos cheios de voos e grandes agitações. Domingo alegre onde faltaram alguns amigos, mas com muita cerveja gelada, boa musica e agradável bate-papo. Quem não foi perdeu. Nem o tempo chuvoso estragou nosso almoço que acabou virando até jantar.
COSTELINHA DE PORCO COM CERVEJA PRETA, pelo o que observei foi feita mais ou menos assim: Ele usou aproximadamente 3 quilos de costelinha de porco em ripa, cortada em dois pedaços para facilitar o preparo e o cozinhamento em forno normal de fogão. Colocou sal, tempero pronto de saquinho para carne de porco comprado no supermercado, alho, uma pitada de pimenta, cerca de 150 gramas de bacon cortado em cubos pequenos, 3 cebolas médias cortadas em tiras, uma latinha pequena de extrato de tomate Elefante, 3 latas de cerveja de 300 ml Malzbier, folhas de louro.
COMO PREPAROU:  Temperou em uma vasilha os dois pedaços de costela em ripa, com o sal, alho e pimenta, incluindo tempero pronto para carne de porco, e deixou marinando na geladeira por cerca de 2 horas, enquanto tomava algumas cervejas e ia beliscando os demais petiscos. Aqueceu uma panela grande e a seguir dourou a carne/costela dos dois lados, reservando a seguir aos dois pedaços de costela em uma assadeira para forno normal. Nessa mesma panela colocou e fritou o bacon, as cebolas, adicionando  a latinha do extrato de tomate elefante pequeno, com as folhas de louro,adicionando as 3 cervejas pretas Malzbier. A seguir voltou a costela para essa panela e deixou cozinhando com a panela tampada por uns 15 minutos em fogo normal, enquanto aquecia o forno a cerca de 180 graus.
A seguir pegou a costela com o molho da panela e colocou em uma forma para assar, tendo fechado a forma com papel alumínio, levando ao forno por aproximadamente 2 horas. Na metade do tempo, cerca de 1 hora, retirou do forno, virou as costelas, cobriu de novo com o papel alumínio e deixou até o fim do processo, quando verificou que estava macia e assada, cujo teste é ver se os ossos saem com facilidade. Aproveitou a mesma assadeira e serviu com o molho do cozimento por cima. Nem cachorro comeu e nem o Joãozinho, pois não sobrou. KKKK
Como acompanhamento teve salada de folhas verdes e muita cerva geladíssima. Valeu o tempo da espera. Sensacional Marcelinho, parabéns pela confecção da sua nobre receita. Quando quiser demonstrar mais suas habilidades estamos prontos para fazer o Test Drive Gastronômico. Boa sorte nos voos e na cozinha mestre Cuca Voador!